sexta-feira, 23 de abril de 2010

Lua negra

Nunca me senti triste por motivos desconhecidos, não escrevi antes, porque me faltaram devida inspiração. Nunca falei da lua, porque a lua nunca esteve ao meu alcançe. Nunca disse o que sentia, porque nenhum sentimento foi verdadeiro. Hoje, Ah...hoje estou disposta, estou séria, estou inspirada, e quero, preciso e vou falar da minha experiência com a lua. Aquela lua que eu nunca quis enxergar interiormente, aquela lua que eu apenas apreciava pela sua beleza e nunca pela sua importância. A lua negra, que se encontrava comigo durante à noite, às vezes, durante o dia, mas que sempre deixava curiosidades quando eu levantava os pés para admirar suas formas um pouco mais de perto. Passei a expor meus medos e receios, a lua sempre me escutou, mas nunca disse o que eu precisava ouvir, mas me fazia sentir o que eu adorava: satisfação. Com o tempo, eu e a lua nos tornamos cúmplices. E uma noite, eu me entreguei a lua. E foi inexplicável, porque uma das minhas curiosidades era tocar a lua, e eu, toquei. Consegui apreciar cada curva, cada cantinho, mas não sabia que a lua tinha o poder de machucar as pessoas. Era uma coisa abstrata mas que exitia...existia na minha vida, no meu interior e no meu mais absoluto prazer. Tocar a lua foi um sonho, mas depois, se tornou um pesadelo. Digo isso porque essa lua feriu-me por dentro, foi embora, me deixou e nunca mais eu a toquei. Engraçado, eu sempre sinto essa lua dentro de mim; olho para o céu e vejo tal lua. Mesmo que não há lua, mas eu vejo, melhor do que ver...eu sinto. Essa lua me obriga a remeter sensações jamais sentidas, me causa ânsia, ânsia pois eu engoli o que deveria ser solto, e agora, não adianta. Eu deixei essa lua escapar entre meus dedos e cair pelo chão, ou melhor, eu a deixei flutuar pelo céu. Ficou longe dos meus olhos, mas perto do meu coração. Sei que essa lua eu não toco mais, não sentirei mais. O céu foi meu aliado, e levou essa lua para enlouquecer outros corações, pois o meu, encontra-se fechado, imune a tais sensações. Não adianta tocar uma lua, sendo que esta, não deseja ser tocada por você. Que essa lua seja feliz e que meu coração jamais sinta vontade de tocá-la novamente.